segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Sertanense distinguiu atletas e dirigentes no jantar de Natal

O Sertanense Futebol Clube organizou no passado dia 22 de Dezembro o seu jantar de Natal, um evento que foi aproveitado para distinguir os melhores jogadores e técnicos do clube, nos diversos escalões de formação, e não só.
Perante algumas centenas de sócios e simpatizantes, que não deixaram de marcar presença no restaurante Ponte de Velha, Paulo Farinha, presidente do Sertanense, revelou os nomes dos diversos galardoados que a colectividade decidiu homenagear pelas suas prestações durante o ano de 2009:
Melhor Jogador Escolas – Eduardo Mendonça
Melhor Jogador Infantis – João Manuel
Melhor Jogador Iniciados – Tiago Fernandes
Melhor Jogador Juvenis – Luís Farinha
Melhor Jogador Juniores – David Ferreira
Melhor Treinador – Henrique
Jogador do Ano – Leandro
Prémio Dedicação – Salgueiro
Além dos jogadores e treinadores foram igualmente agraciadas algumas figuras ligadas ao Sertanense:
Melhor Sócio – Aida
Director do Ano – José Matias
Prémio Homenagem – Sr. Loureiro (elemento do Grupo Coral do Sertanense)
Os prémios entregues pelo jornal Tribuna Desportiva na época passada também foram dados a conhecer neste jantar de Natal:
Melhor Marcador – Marco Farinha
Figura de Jogo – Joca
Pontuação Individual – Bruno Xavier

Sertanense perde primeiro jogo em casa

O Sertanense não foi feliz na recepção ao Pampilhosa, tendo saído derrotado pela margem mínima (1-2). Este resultado atirou a equipa da Sertã para os lugares de despromoção (13.º lugar) no Campeonato Nacional da 2.ª Divisão – Zona Centro.
O desafio começou logo da pior maneira para o Sertanense, que aos dois minutos de jogo foi penalizado com uma grande penalidade. Todavia, a sorte esteve do lado dos ‘homens’ de José Bizarro, uma vez que Moretto parou o remate do médio do Pampilhosa.
O equilíbrio foi a tónica dominante durante a primeira parte, onde o futebol jogado foi de boa qualidade. O Sertanense desperdiçou algumas oportunidades, o mesmo sucedendo com o Pampilhosa.
O primeiro golo da partida chegaria mesmo ao cair do pano da primeira metade de jogo e num lance em que o Sertanense se pode queixar de uma decisão errada da equipa de arbitragem. Depois de um livre cobrado pelos jogadores do Pampilhosa, um dos jogadores adversários ajeitou a bola com a mão e colocou-a nos pés do médio esquerdo que, perante os protestos dos jogadores sertaginenses, entrou dentro da área e serviu o avançado Marcelo para marcar o golo.
Na segunda parte, o Sertanense entrou melhor e aos 64 minutos chegou ao empate, na sequência de um pontapé de canto a que Marco Farinha deu a melhor sequência. O conjunto a Sertã cresceu e foi para cima do adversário.
Todavia, e contra a corrente do jogo, o Pampilhosa chegou ao segundo golo, depois de uma fífia de Moretto que deu a possibilidade a João Paulo de fixar o resultado final.
Até ao apito final do árbitro só deu Sertanense, que não conseguiu concretizar algumas oportunidades flagrantes diante da baliza defendida por Eduardo.
Na próxima jornada, a realizar no dia 3 de Janeiro, o Sertanense desloca-se ao terreno do Monsanto.

Ficha de Jogo

Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos (Sertã)
Árbitro: Hélder Pardal (Santarém)
Sertanense: André Moretto, Anderson, Leo Bahia (Bruno Xavier, 54’), Pedro Miguel, Renato (Bruno Grou, 74’), Idris, Leandro, Casquinha, Platini, Moisés (Marco Farinha, 45’) e Joca.
Pampilhosa: Eduardo, Rui Daniel, Hernâni, Bebé (Diogo, 49’) (Fachada, 78’) (Antunes, 90’+6), Roberto, João Paulo, Hélder, Fernando, Chico, Marcelo e Bruno Resende.
Golos: Marcelo (45’), Marco Farinha (64’), João Paulo 70’)

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Jantar de Natal do Sertanense é no dia 22 de Dezembro

O Sertanense Futebol Clube organiza na próxima terça-feira, 22 de Dezembro, o seu jantar de Natal. Na iniciativa, marcarão presença todos os atletas do clube, desde as escolinhas até aos seniores, e também o Grupo Coral do Sertanense, que irá realizar um concerto de Natal.O jantar tem início pelas 20 horas no restaurante Ponte Velha e todos os interessados poderão inscrever-se, mediante o pagamento de um valor de 15 euros/pessoa.
Será ainda levada a cabo uma troca simbólica de prendas.
Aqui fica o convite a todos os sócios e simpatizantes do clube para comparecerem em força no restaurante Ponte Velha, na Sertã.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Equipas do passado: Os juniores do Sertanense em 1974/75

Vários problemas financeiros levaram a que o Sertanense não se apresentasse, nas épocas de 1973/74 e 1974/75, no Campeonato Distrital de futebol de Castelo Branco. No entanto, numa clara aposta nos jovens do concelho, a Direcção do clube, presidida por Reinaldo Casimiro, resolveu inscrever uma equipa no Distrital de Juniores na temporada de 1974/75.
Formada unicamente por jovens da terra, alguns deles ainda pertencentes ao escalão de juvenis, o conjunto do Sertanense era treinado pelo ‘incansável’ Matiota que, uma vez mais, assumia o papel de dinamizador da modalidade junto dos mais novos.
Os treinos tiveram início no mês de Outubro, no Campo da Abegoaria. Nos primeiros dias, o número de jovens era reduzido, mas esse cenário rapidamente se inverteu e em Dezembro chegavam quase às duas dezenas.
Foi também neste mês de Dezembro, mais precisamente no dia 15, que o Sertanense fez a sua estreia no Distrital de Juniores. Depois de ter folgado na primeira jornada, a formação da Sertã deslocou-se ao Teixoso para defrontar o conjunto local.
O jogo terminou com a vitória do Teixosense (3-1), contudo, a equipa sertaginense deu boa conta de si e conseguiu mesmo chegar ao empate, depois de estar em desvantagem. O golo foi apontado por Camilo.
Os desafios seguintes, frente às equipas do Benfica e Castelo Branco e Sporting da Covilhã (vencedores crónicos dos campeonatos mais jovens do distrito), serviram para ganhar experiência, até porque pontuar nestes jogos adivinhava-se uma tarefa quase impossível.
A segunda volta do campeonato começou da melhor maneira para os jovens orientados por Matiota, que conseguiram o seu primeiro e único ponto na prova, mercê de um empate em casa frente ao Teixosense. A vitória não esteve longe, mas a pontaria dos avançados do Sertanense não estava nos melhores dias.
Até ao final do campeonato, mais duas derrotas, frente ao Sporting da Covilhã (que se sagraria campeão) e ao Benfica e Castelo Branco, respectivamente.
Jogadores: Conceição, Brito, Júlio Goulão, Ferreira, Folgado, Ezequiel, Rui, Luís Marcelino, Tó Camilo, Robalo, Jorge, Hélder, Jorge Coelho, Né ou Sousa.

Foto de Sarmento Nunes, tirada por ocasião do jogo entre o Sertanense e o Sporting da Covilhã (as duas equipas surgem na imagem)

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Sertanense conquista primeiro ponto fora, mas podiam ter sido três…

O Sertanense conquistou o primeiro ponto fora de casa no Campeonato Nacional da 2.ª Divisão (Zona Centro), ao empatar (1-1) no reduto do Académico de Viseu. Com este resultado, a equipa treinada por José Bizarro subiu ao 11.º lugar da classificação, tendo saído dos lugares de despromoção.
Olhando para aquilo que foram os 90 minutos de jogo pode mesmo dizer-se que o empate alcançado pelo Sertanense sabe a pouco, tal o domínio exercido pela equipa sertaginense, sobretudo na segunda parte do encontro.
Como não assistimos à partida, socorremo-nos da crónica de jogo publicada hoje pelo jornal Diário de Viseu:
“ O Académico de Viseu não foi além de um empate frente à equipa do Sertanense. O golo academista foi apontado por Calico, após livre de Rui Santos. Contudo, o resultado acaba por ser lisonjeiro para a equipa da casa. A verdade é que depois dum bom arranque, os comandados de António Borges, caíram de produção duma forma gritante. O Sertanense chegou ao empate, e depois podia, por várias vezes, ter chegado à vitória.
Os academistas entraram muito bem, realizando uns bons 15 minutos de jogo. Registo para 3 oportunidades flagrantes de golo. Zé Bastos no primeiro minuto, isolou-se pelo lado esquerdo do ataque academista, mas rematou um pouco ao lado. Rui Santos e Guima também tiveram o golo nos pés, mas no primeiro o remate saiu desastrado, no segundo, o golo esteve perto, mas a boa intervenção dum defesa evitou que o avançado fizesse melhor. O tento da equipa da casa, chegou aos 13min, após livre de Rui Santos, Calico terá desviado a bola ligeiramente, fazendo o único golo academista da tarde. A equipa da Sertã respondeu, e chegou ao golo aos 33 min. Augusto defende um primeiro remate para a frente, onde um adversário [Moisés] só teve de empurrar a bola para a baliza deserta do Académico. Depois disso, permitam-me, só deu Sertanense. Os forasteiros em várias ocasiões, nomeadamente na 2.ª metade, podiam ter feito o golo. A equipa academista, demonstrou algum nervosismo e as coisas não saíram bem”.
No próximo fim-de-semana, o Sertanense recebe a formação do Pampilhosa, que se encontra actualmente na sexta posição da tabela classificativa.

Ficha de jogo

Estádio Municipal do Fontelo (Viseu)
Árbitro: Jorge Maia (Santarém)
Académico Viseu: Augusto, Calico, Jonas, Tiago, M. Henrique, Álvaro, Fernando (Hugo Seco, 80’), Marco Almeida (Tomé, 45’), Rui Santos, José Bastos e Guima (Renato, 86’).
Sertanense: André Moretto, Hugo Ventosa, Flávio Dias (Filipe Avelar, 35’), Pedro Miguel, Renato, Leandro (Anderson, 77’), Moisés (Bruno Grou, 67’), Platini, Casquinha, Idris e Joca.
Golos: Calico (14’) e Moisés (33’)

Juniores do Sertanense continuam em grande no seu campeonato

A equipa de juniores do Sertanense continua a fazer um brilharete no Campeonato Distrital. Este fim-de-semana foi vencer ao terreno do segundo classificado, a AD Estação, e aumentou a vantagem no comando para cinco pontos.
Os juvenis sertaginenses também venceram (Oleiros por 4-0) e encurtaram a distância para o quinto lugar, ocupado pelo Académico do Fundão. O Sertanense é sexto com 10 pontos.
Quem também está em grande é a formação de iniciados, que manteve este fim-de-semana o primeiro lugar da classificação, ex-aequo com o Vilarregense. Estes dois conjuntos defrontaram-se ontem e o resultado final saldou-se por um empate a zero.
Os infantis foram goleados em casa pelo Académico do Fundão (0-7) e mantiveram a última posição do respectivo Campeonato Distrital.
As escolas estiveram perto de protagonizar uma grande surpresa diante do Desportivo de Castelo Branco, um dos candidatos ao título, mas a equipa sertaginense acabou derrotada por 4-5. Os jovens da Sertã caíram para o sexto lugar.
Por fim, a formação ‘B’ de infantis pontuou pela primeira vez no seu campeonato, tendo vencido o Benfica e Castelo Branco (4-2).

sábado, 12 de dezembro de 2009

Bruno Xavier e Anderson regressam ao Sertanense


O médio Bruno Xavier (na foto) e o defesa Anderson estão de regresso ao Sertanense. Os dois jogadores brasileiros voltam a uma casa que bem conhecem e onde actuaram nas duas últimas épocas.
Bruno Xavier, que foi uma das peças fundamentais da equipa que a época passada subiu o Sertanense à 2.ª Divisão, é uma mais-valia sobretudo para o meio-campo, uma posição onde gosta de espalhar criatividade. O jogador já alinhou no clube nas épocas de 2007/08 (34 jogos e 3 golos) e 2008/09 (36 jogos e 2 golos).
Já Anderson notabilizou-se, durante a temporada passada, pela excelente dupla que fez com Pedro Miguel no centro da defesa. Apesar de ter começado a ocupar outras posições no terreno, quando chegou à equipa, foi aí que se fixou. O brasileiro esteve também no Sertanense nas épocas de 2007/08 (23 jogos) e 2008/09 (26 jogos).

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Vitória esclarecedora deixa Marinhense em sentido

O Sertanense alcançou este fim-de-semana a sua vitória mais expressiva, até ao momento, no Campeonato Nacional da 2.ª Divisão (Zona Centro), ao derrotar o Marinhense por esclarecedores 3-1. A formação sertaginense ocupa agora o 13.º lugar, somando 11 pontos.
Com um ‘onze’ bastante ofensivo, a equipa de José Bizarro não começou bem o jogo, tendo consentindo, logo ao minuto 12, o primeiro golo do conjunto da Marinha Grande, numa jogada infeliz do defesa do Sertanense Renato, que introduziu a bola na baliza de Moretto.
Mas o Sertanense respondeu bem e aos 38 minutos, Casquinha – um dos melhores no desafio – apontou o golo do empate. Ainda antes do intervalo, Platini colocou a equipa da Sertã em vantagem no marcador.
Na segunda parte, o Sertanense a jogar com mais um (depois da expulsão de um jogador do Marinhense) controlou a partida e conseguiu chegar ao terceiro golo, por intermédio de Joca.
No próximo fim-de-semana, a formação sertaginense desloca-se ao terreno do Académico de Viseu, que ocupa actualmente a 14.ª posição da tabela classificativa.

Ficha de jogo

Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos
Árbitro: José Gomes (Lisboa)
Sertanense: Moretto, Hugo Ventosa, Pedro Miguel (Filipe Avelar, 84’), Flávio Dias, Renato, Idris, Leandro, Casquinha, Platini, Moisés (Rui César, 65’) e Joca (Adérito, 88’).
Marinhense: Róis, Sousa, Pedro Santos, Moita (Dárcio, 82’), Falé, Índio, Pipo, Bruno Filipe, Nelson, Pedro Emanuel e Dadi (Antero, 70’).
Golos: Renato (12’ na p.b), Casquinha (38’), Platini (45’) e Joca (82’)

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Tourizense ‘trava’ Sertanense


O Sertanense voltou a experimentar o sabor amargo da derrota na partida deste fim-de-semana diante do Tourizense. O resultado final (2-1) ‘atirou’ a equipa da Sertã para o 14.º lugar da classificação do Campeonato Nacional da 2.ª Divisão (Zona Centro).
O jogo começou bem para o Sertanense, que logo no primeiro minuto abriu o activo por intermédio de Moisés. O bom início teve sequência nos minutos seguintes, com a formação orientada por José Bizarro a dar boa conta de si.
Todavia, uma desatenção defensiva, aos 34 minutos, resultou no golo do empate da equipa da casa, que marcou através de Amessan.
Quando todos já pensavam no intervalo, o Sertanense sofreu o segundo golo, numa jogada concretizada por Jorge Chula.
Na segunda parte, o Tourizense entrou melhor e desperdiçou algumas oportunidades. O Sertanense equilibrou e curiosamente a partir da expulsão do ‘central’ Leo Bahia praticou um futebol mais aguerrido.
Contudo, o resultado não sofreria qualquer alteração até ao apito final do árbitro.
No próximo fim-de-semana, o Sertanense recebe o Marinhense, que ocupa neste momento o 11.º lugar da tabela classificativa.

Ficha de jogo

Complexo Desportivo Visconde de Vinhal (Touriz)
Árbitro: Nuno Borba (Setúbal)
Tourizense: Bruno, Xavier, Erodson, Fábio Santos, Sarmento, Kátio, Jorge Chula (Ruben, 90’), Pedro Fontes, Amessan, Tomané (Flávio, 80’), Aguinaldo (Doumbouya, 90’+5).
Sertanense: Moretto, Renato, Léo Bahia, Pedro Miguel, Hugo Ventosa, Flávio Dias, Leandro, Bruno Silva (Adérito, 55’), Moisés (Marco Farinha, 74’), Casquinha (Platini, 55’) e Joca.
Golos: Leandro (2’), Amessan (34’) e Jorge Chula (45’+2)

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Os derbies entre Sertanense e Vitória de Sernache


É conhecida de todos a sã rivalidade existente entre as vilas da Sertã e de Cernache do Bonjardim. O futebol não é excepção, e um jogo entre equipas destas duas localidades é sinónimo de emoção do primeiro ao último minuto.
A história destes desafios estende-se no tempo e é mesmo preciso recuar até ao dia 8 de Novembro de 1936 para encontrar registos de um encontro de futebol entre formações destas duas vilas. O desafio colocou frente-a-frente as formações da Casa do Povo de Cernache do Bonjardim e do «Onze Unidos», da Sertã. A vitória (3-0) pertenceu ao conjunto de Cernache do Bonjardim.
Todavia, a primeira partida oficial sé aconteceu em 1976, colocando frente-a-frente Vitória de Sernache e Sertanense. O jogo, a contar para o Campeonato Distrital de Castelo Branco (época 1976/77), terminou com a vitória da equipa da Sertã por 1-0.
No jogo da segunda volta desta prova, o Sertanense voltou a ganhar, mas desta vez por 2-0. Xana fez o primeiro golo, ao passo que o segundo resultou de um auto-golo de Necas.
Na época seguinte (1977/78), o Sernache foi vencer ao terreno do Sertanense (0-2) na primeira volta e na segunda, o Sertanense triunfou em Cernache do Bonjardim (0-1). “Expectativa, emoção e atirado para longe o fanatismo dos tempos antigos. Bom jogo de futebol, boa arbitragem e vitória por 1-0. O arreganho e entusiasmo dos vizinhos de Cernache não conseguiu eliminar a maior experiência do Sertanense”, podia ler-se, numa crónica publicada no jornal «A Comarca da Sertã», a propósito deste último jogo.
A grande campanha do Sertanense na temporada de 1978/79, falhando a subida à 3.ª Divisão Nacional, na última jornada, encontrou sequência nos dois jogos disputados frente ao Vitória de Sernache. O sorteio ditou que na primeira volta, a equipa da Sertã viajasse até Cernache para defrontar a turma local. Três golos sem resposta (dois de Farinha e um auto-golo de Pinto) deram ao Sertanense uma vitória por 0-3. No jogo da segunda volta, goleada para o Sertanense (4-1), com Farinha a apontar dois golos.
A senda de bons resultados para a equipa da Sertã continuou na época de 1979/80. Primeiro, foi a vitória em casa (2-1) e depois o empate em Cernache (1-1).
Só na temporada seguinte (1980/81), o Vitória de Sernache logrou chegar novamente à vitória e logo por 3-1. Mas na segunda volta, o Sertanense ‘vingou-se’ e venceu pelo mesmo resultado. Sobre este jogo, Raul Simões escreveu no jornal «A Comarca da Sertã»: “Maior acutilância por banda do Sernache, resposta sempre pronta do Sertanense, mormente conduzida pelo ‘quase coxo’ Rui Vaz, muito bem secundado quer por Coelho, quer por Ezequiel a meio-campo, já que Tó Marques descaia para o lado direito e Mota para o lado esquerdo, e ficando Farinha sempre lá à frente. Entretanto, toda a defesa mantinha-se coesa”.
Um empate (0-0) e uma vitória (2-0) para o Vitória foi o saldo da época de 1981/82. Na temporada seguinte (1982/83), o ‘fantasma’ da violência ensombrou este ‘derby’ concelhio. À partida para a quarta jornada da prova, Sertanense e Vitória estavam lado-a-lado nos primeiros lugares da classificação, o que criou alguma expectativa. No entanto, tudo se complicou com o desenrolar da partida, que acabaria por se saldar em quatro expulsões (duas para cada lado) e cenas lamentáveis dentro e fora de campo, com os jogadores a envolverem-se em agressões físicas. O jogo terminou com a vitória (2-1) do Sernache, um triunfo que lhe viria a ser retirado mais tarde, na sequência da equipa ter alinhado com um jogador em situação irregular.
Na segunda volta, os ânimos estiveram mais calmos e o empate (1-1) premiou o esforço das duas formações.
A temporada de 1983/84 foi semelhante à de 1977/78. O Sertanense começou por ir vencer a Cernache (2-3), mas depois baqueou em casa diante do mesmo adversário (derrota por 1-2).
O equilíbrio era a tónica dominante nestes ‘derbys’. A correlação de forças era semelhante e a emoção garantida do primeiro ao último minuto. Isso mesmo foi o que se verificou na temporada de 1984/85, nos dois jogos disputados e que renderam dez golos – dois empates (3-3 e 2-2) mostraram bem o equilíbrio entre os dois conjuntos.
A época seguinte foi do Vitória de Sernache – dois jogos e duas vitórias (1-0 e 3-0) –, que esteve na luta directa pela subida à 3.ª Divisão Nacional.
O Sertanense ‘vingou-se’ no ano seguinte com duas vitórias (4-0 e 1-0) e ficou também a um passo de garantir a subida aos nacionais de futebol.
Mas esse desiderato chegaria no ano seguinte para a formação da Sertã. A subida à 3.ª Divisão foi o prémio justo para um campeonato notável, com 20 vitórias em 26 jogos. Quanto aos ‘derbys’, domínio absoluto do Sertanense – duas vitórias (2-1 e 3-0).
A entrada do Sertanense nos campeonatos nacionais de futebol obrigou a uma paragem neste encontros anuais, que só voltariam a ser reatados aquando da subida do Vitória de Sernache à 3.ª Divisão, em 1996.
O primeiro encontro entre Sertanense e Vitória de Sernache num campeonato nacional de futebol aconteceu à sexta jornada, da época de 1996/97. O ‘cernachense’ Bruno Bastinho deu a vitória aos ‘homens da Sertã’ pela margem mínima. O Vitória corrigiu na segunda volta e venceu pelo mesmo resultado (1-0), não evitando contudo o regresso aos ‘Distritais’.
Não foi preciso esperar muito para voltarmos a assistir a um ‘derby’, até porque o Sernache voltaria aos nacionais na temporada seguinte. O equilíbrio voltou a imperar, com uma vitória para cada lado – o Sertanense venceu em casa por 2-1 e o Vitória fez o mesmo no seu reduto, mas por 1-0.
Devido à descida do Sertanense ao campeonato distrital no final desta temporada, só em 2000 é que foi possível voltar a assistir a um ‘derby’. O Vitória esteve melhor nos dois jogos e venceu por 3-0 e 2-1.
A época de 2001/02 foi de sucesso para o Sertanense, mercê da subida à 2.ª Divisão Nacional. E o Vitória foi o convidado de honra para a festa. Depois de um empate (1-1) na primeira volta, o último jogo do campeonato reservava um Sertanense - Vitória de Sernache. Os ‘homens da Sertã’ tinham de vencer o jogo para confirmarem a subida de divisão, ao passo que os de Cernache estavam livres de qualquer preocupação na tabela classificativa.
A partida foi de nervos para a formação da Sertã, que só começou a respirar de alívio quando Marco Simões apontou o golo que lhe daria a vitória no encontro. Depois, foi só gerir até ao fim e esperar pelos outros resultados. A festa consumou-se então e durou até de manhã.
Esta foi, curiosamente, a última vez que as duas equipas se defrontaram a nível oficial. Depois disso, apenas alguns jogos-treino quebraram a rotina.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Sertanense comanda campeonatos de Juniores e Iniciados

Juniores e Iniciados. Estes são os dois campeonatos em que as equipas do Sertanense comandam a classificação. O brilharete dos jovens sertaginense merece aqui um especial destaque, até porque estas duas provas contam com a participação de algumas das formações mais cotadas do distrito.
No Distrital de Juniores, o Sertanense lidera com os mesmos pontos (15) do Idanhense, mas tem ainda um jogo em atraso (Vitória de Sernache, respeitante à primeira jornada). Este fim-de-semana, a equipa treinada por Mota foi ao terreno do Belmonte golear (5-1) o conjunto local. Na próxima semana, tem início a segunda volta.
No campeonato de Iniciados (Série B), o Sertanense está isolado na liderança, apesar de ter perdido este fim-de-semana com o Valongo (1-2), que com este resultado subiu à segunda posição da competição.
Quanto aos restantes campeonatos, as coisas não têm corrido tão bem às equipas da Sertã, mas ainda assim os objectivos têm sido alcançados. Nos juvenis, o Sertanense foi derrotado em Belmonte e está no oitavo lugar da classificação. A turma de infantis não fez melhor e saiu goleada (2-8) no jogo diante do Sporting da Covilhã, encontrando-se actualmente na nona posição. Já as escolas, não terão ficado com grandes recordações do jogo com o Académico do Fundão (0-12), mas ainda assim mantiveram o quinto lugar na geral. A equipa ‘B’ de infantis folgou nesta jornada.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Equipas do passado: Sertanense em 1972/73

O aumento do número de equipas no campeonato (de cinco para sete) acabou por não beneficiar o Sertanense, que repetiu a última posição do Distrital de Castelo Branco dos anos anteriores. A inexperiência da equipa voltou a ser decisiva no confronto directo com os adversários que, além disso, possuíam outras condições de captação de jogadores e encontravam-se mais próximos dos dois centros mais importantes do futebol do distrito – Castelo Branco e Covilhã. A interioridade e as grandes distâncias que era necessário percorrer nos jogos fora de casa (algumas delas superiores a 100 quilómetros) também não ajudavam.
A preparação para o campeonato até nem correu mal. Logo no mês de Setembro de 1972, o Sertanense venceu o Torneio do Vales de Cardigos, após derrotar na final a formação da casa por conclusivos 4-0. Nos lugares seguintes ficaram Proença-a-Nova e Cardigos.
Mais alguns jogos ajudaram a apurar a forma do conjunto treinado por Matiota. No entanto, alguns problemas na organização do Distrital de Castelo Branco levaram a que a prova só começasse a ser disputada em Março de 1973.
Na primeira jornada, o Sertanense deslocou-se ao terreno do Benfica de Castelo Branco e não conseguiu melhor do que uma derrota (3-0), o mesmo sucedendo na jornada seguinte na recepção ao Cebolense (derrota por 2-0).
A terceira jornada não trouxe melhorias e na partida efectuada em Belmonte, o conjunto sertaginense saiu vergado sob o peso de nova derrota (5-0).
O primeiro ponto chegou à quarta jornada, mercê de um empate em casa frente ao Teixosense. Segundo a crónica do jornal A Comarca da Sertã, “o empate verificado no fim do jogo castiga unicamente o Sertanense, que devido à inoperância dos seus avançados não conseguiu traduzir em golos as oportunidades criadas”.
A inoperância dos avançados começava a ser evidente, uma vez que ao cabo de quatro jornadas, ainda não havia sido apontado qualquer golo. Isso não se alterou na ronda seguinte, quando o Sertanense voltou a sair derrotado (5-0) no jogo frente ao Covilhã-e-Benfica.
Foi preciso esperar até à sexta jornada para ver o primeiro golo da equipa. Apontado por Jorge Serrano, o golo foi ainda assim insuficiente para evitar a vitória das Minas da Panasqueira (3-1), no jogo realizado no Campo da Abegoaria.
A segunda volta do campeonato trouxe algumas melhorias, sendo que na recepção ao Benfica de Castelo Branco, a equipa vendeu bem cara a derrota (2-1).
O jovem Vítor Serrano – que fazia a sua primeira época na baliza –, Dionísio, Joca Barreto, António Pires ou Hilário afirmavam-se como esteios da equipa, onde outros jovens como Jorge Coelho procuravam encontrar o seu lugar.
A deslocação ao terreno do Cebolense não trouxe boas recordações, em virtude da goleada (6-0) infligida pelos homens da casa aos comandados de Matiota.
No entanto, esse jogo serviu para que a equipa acordasse e logo na jornada seguinte, o Sertanense conseguia a sua primeira e única vitória da época. Foi no dia 27 de Maio de 1973, na recepção ao Belmonte, que a formação da Sertã, na sequência de um golo de grande penalidade, conseguiu alcançar o primeiro triunfo da temporada.
Com esta vitória, a moral subiu e o jogo seguinte, no Teixoso, foi encarado com muito optimismo. O próprio Matiota recorda: “A equipa estava a jogar bem e os jogadores começavam a ganhar alguns automatismo dentro do campo”. No entanto, alguns erros defensivos e os falhanços dos avançados na hora decisiva levaram a que a derrota voltasse a surgir no horizonte.
Ainda assim, a grande exibição da época estava guardada para o jogo seguinte, na recepção ao Covilhã-e-Benfica, uma equipa que precisava de pontuar para não perder o primeiro lugar que ocupava na classificação.
Tacticamente irrepreensível e com uma excelente atitude de jogo, o Sertanense travou a formação encarnada com um empate (2-2), respondendo sempre às investidas da equipa contrária, que não estava à espera de tantas dificuldades. A fechar o campeonato, nova derrota (4-1), na deslocação às Minas da Panasqueira.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Sertanense empata (0-0) com União da Serra


O Sertanense cedeu um empate a zero diante do União da Serra, em jogo da oitava jornada do Campeonato Nacional da 2.ª Divisão – Zona Centro. A equipa sertaginense manteve o 13.º lugar da classificação, somando agora oito pontos.
A tarde não estava muito convidativa para sair de casa, até porque a chuva ameaçava começar a cair a qualquer momento. Ainda assim, o Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos recebeu algumas dezenas de adeptos para assistir a este desafio.
A história do jogo não é difícil de contar, até porque o equilíbrio foi a tónica dominante e as ocasiões de golo foram muito poucas em cada uma das balizas.
Os esquemas tácticos das duas equipas encaixaram perfeitamente e só a espaços se viram alguns rasgos de bom futebol – o jogo foi tal e qual a cor do céu na tarde de ontem, muito cinzento!
Para a história fica o resultado nulo entre estas duas formações, que já se haviam defrontado por várias vezes em partidas da 3.ª Divisão.
Na próxima jornada (29 de Novembro), o Sertanense desloca-se ao terreno do primeiro classificado, o Tourizense.

Ficha de Jogo

Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos
Árbitro: Ricardo Lourenço (Portalegre)
Sertanense: André Moretto, Hugo Ventosa, Leo Bahia, Pedro Miguel, Renato, Filipe Avelar (André, 58’), Leandro, Casquinha, João Boiças, Marco Farinha (Bruno Grou, 58’) e Joca.
União da Serra: Sérgio Fonseca, Lagoa, Serginho, Parracho, Pedro Mendes (Nelson Brites, 81’), Hugo Carvalho, Fredy, Miguel Xavier, Rui Costa (Austine, 67’), Cepeda (Caveira, 81’) e Óscar.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

A escola que era a ‘menina-dos-olhos’ do Sertanense


A fundação da escola de música foi uma das principais conquistas do Sertanense, no campo cultural. Ao longo de cerca de 20 anos, muitos jovens passaram pela escola e aí tomaram contacto com o admirável mundo novo que é a música.
A escola foi criada em 1982, durante a direcção liderada por José Pires Gestosa, e as primeiras inscrições abriram no mês de Setembro. As aulas iniciaram-se no final do mês seguinte.
“A criação da escola de música foi uma verdadeira aventura. Escolhemos a sala junto à sala do bilhar, no rés-do-chão, para instalar toda a logística para a escola”, recorda José Pires Gestosa, no livro Sertanense: 75 Anos de História.
A primeira escolha para dirigir a escola foi o professor Gama, de Castelo Branco. “Ele não pôde aceitar o nosso convite porque já se tinha comprometido com outro projecto. No entanto, foi ele que nos orientou e auxiliou na montagem da escola, tendo sido também ele a sugerir-nos os professores para a escola”, lembra aquele antigo presidente. A professora Paula Ramos, do Conservatório Regional de Música de Castelo Branco, foi a escolhida para orientar as aulas. O sucesso da escola foi imediato, com cerca de 60 alunos inscritos em quatro classes de ensino.
A primeira apresentação ao público aconteceu no dia 19 de Dezembro, por altura da festa de Natal organizada pelo clube, na sua sede. De acordo com o jornal «A Comarca da Sertã», “a assistência presente saiu maravilhada com o espectáculo” que os executantes da escola de música proporcionaram.
Os meses seguintes justificaram esta aposta da Direcção. A adesão de novos alunos obrigou à entrada de uma nova professora (Helena Nunes), que, juntamente com Paula Ramos, desempenharam um “papel notável em prol do ensino da música nas camadas mais jovens da Sertã”.
Em 1988, a escola de música já somava cerca de 75 alunos nas suas várias secções (piano, flauta, órgão e educação musical).
Com o passar dos anos, a escola foi granjeado prestígio um pouco por todo o lado, tendo os seus alunos chegado a actuar em Lisboa e noutras localidades do país. Todavia, o dinamismo da escola perdeu-se em meados da década de 1990, até que a sua extinção foi decretada. Em 2008, a direcção liderada por Paulo Farinha reactivou esta escola.

Esmoriz derrota Sertanense


O Sertanense voltou a não ser feliz na jornada deste fim-de-semana – a sétima –, averbando nova derrota na deslocação ao terreno do Esmoriz (1-0). Com este resultado, a formação sertaginense voltou a cair para o 13.º lugar.
A primeira parte contou com um Sertanense bastante activo, com os seus jogadores a desenharem boas jogadas e a falharem três boas ocasiões de golo. O Esmoriz respondia como podia, tendo também desperdiçado algumas oportunidades para marcar.
Na segunda parte, o conjunto da casa entrou melhor e, aos 60 minutos, Márcio Sousa, num jogada bastante caricata (não se percebeu muito bem se o futebolista quis rematar à baliza ou cruzar a bola) marcou o primeiro e único golo da partida.
A equipa da Sertã reagiu e já ao cair do pano falhou uma grande penalidade, por intermédio de Platini.
A oitava jornada, a realizar no próximo dia 15 de Novembro, coloca frente-a-frente Sertanense e União da Serra. Este último ocupa a nona posição da tabela classificativa, com 11 pontos.

Ficha de jogo

Estádio da Barrinha (Esmoriz)
Árbitro: Luís Ferreira (Braga)
Esmoriz: Rui Sacramento, André, Adelino, Paulo Jorge, Gonçalo, Elísio, Leo Oliveira, Tiago Moreira, Fábio Ferreira (Manuel, 37’), Márcio Sousa e Paulo Ferreira (Ruça, 90’).
Sertanense: Moretto, Leo Bahia, Renato, Pedro Miguel, Bruno Silva (André, 75’), Filipe Avelar (Idris, 65’), Bruno Grou, Adérito (Moisés, 30’), Platini, Leandro e Casquinha.
Golo: Márcio Sousa (60’)

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Sertanense vence Eléctrico de Ponte de Sôr ao ‘cair do pano’


O Sertanense voltou a vencer no Campeonato Nacional da 2.ª Divisão – Zona Centro. Um golo, obtido já em período de descontos, foi o suficiente para a formação sertaginense levar de vencida o Eléctrico de Ponte de Sôr e subir ao 11.º lugar do campeonato, somando agora sete pontos.
Depois do despedimento do treinador Joaquim Mendes, na passada terça-feira, os adeptos do Sertanense esperavam para ver, com alguma curiosidade, a estreia de José Bizarro no banco da equipa.
E a estreia não podia ter corrido melhor, num jogo de muitos nervos, onde o Sertanense desperdiçou algumas boas oportunidades para se colocar em vantagem mais cedo.
Foi então preciso esperar pelo período de descontos (numa altura em que a equipa já estava reduzida a nove jogadores) para Leandro, numa excelente jogada, servir Rui César que, com um forte remate, colocou a bola no fundo das redes da baliza de Passarinho – estava feito o resultado final.
O técnico José Bizarro, no final do jogo, fez o balanço: “Ainda não possuo uma avaliação profunda sobre o plantel, mas vejo coisas positivas, desde logo a atitude dos jogadores. Há condições para chegar ao objectivo”.
Para terminar, uma nota negativa para as expulsões que os jogadores do Sertanense têm vindo a sofrer nos últimos desafios – desta vez foram mais dois (Flávio Dias e Marco Farinha).
Na próxima jornada, o Sertanense desloca-se ao terreno do Esmoriz, equipa que ocupa a oitava posição, com mais um ponto do que a formação sertaginense.

Ficha de jogo

Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos (Sertã)
Árbitro: Renato Gonçalves (Guarda)
Sertanense: Moretto, Leo Bahia (Moisés, 71’), Flávio Dias, Pedro Miguel, Bruno Silva, Filipe Avelar, Leandro, Casquinha (Marco Farinha, 59’), Platini (Rui César, 89’), João Boiças e Adérito.
Eléctrico Ponte de Sôr: Passarinho, Telmo, Edgar, Vinícius, Carlos Santos, Rui Gomes, Ibraime, Vasco Campos (Galacho, 85’), Mário Silva, Wilson (João Neves, 66’) e Joca (Pedras, 64’).
Golo: Rui César (90’+3)

Fim-de-semana positivo para as equipas mais jovens


O fim-de-semana das equipas jovens do Sertanense, nos respectivos campeonatos distritais, foi bastante positivo, sendo de registar as vitórias das formações de juniores e iniciados.
No Campeonato Distrital de Juniores, e depois da derrota da passada semana diante da Estação, o Sertanense foi ao terreno do Valongo venceu por 3-1. Com este resultado, os jovens sertaginenses estão na quarta posição da prova, com seis pontos, mas contam menos um jogo (Vitória de Sernache, na primeira jornada).
Os juvenis do Sertanense folgaram nesta terceira ronda e caíram para a sexta posição, somando, neste momento, apenas um ponto.
Um verdadeiro brilharete é aquilo que a equipa de iniciados está a fazer no respectivo campeonato (série B): quatro vitórias em quatro jogos. Este fim-de-semana, a ‘vítima’ foi o Proença-a-Nova, que mesmo a jogar em casa não evitou a derrota por 2-0. O Sertanense comenda a prova com 12 pontos, mais três do que o segundo classificado, o Valongo.
A formação de infantis não teve tanta sorte na jornada do passado sábado, tendo sido goleada pela Estação por concludentes 7-0. Ainda assim, os jovens da Sertã ocupam a sétima posição na prova.
Nas escolas, o Sertanense alcançou um precioso empate (3-3) diante do Benfica e Castelo Branco e mantém o quinto lugar neste campeonato.

Foto: http://geracao-1996-sccovilha.blogspot.com

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Bizarro é o novo treinador do Sertanense


O Sertanense Futebol Clube tem novo treinador. José Bizarro, antigo guarda-redes da selecção portuguesa de sub-20 que conquistou o Campeonato do Mundo, em Riade, foi o escolhido para assumir o lugar deixado vago por Joaquim Mendes, que acertou a rescisão do seu contrato na noite de terça-feira.
José Bizarro, de 39 anos, estreou-se como técnico na temporada de 2006/07 no Amares, clube da 3.ª Divisão Nacional. Até à actualidade, orientou Fiães (2B), Anadia (2B) e Caniçal (2B).
Quanto à rescisão de contrato com Joaquim Mendes, Paulo Farinha, presidente do Sertanense, justificou, em entrevista à Rádio Condestável, a decisão: “Foi uma divergência de opiniões. Não era bem este sistema que queríamos para o Sertanense e o que pesou foi a classificação”.O novo técnico já deverá sentar-se no banco no jogo do próximo fim-de-semana diante do Eléctrico de Ponte de Sor.

Foto: http://soccerandstars.blogspot.com

Equipas do passado: Sertanense em 1971/72


Com uma equipa muito similar à da época de 1970/71, o Sertanense «atacou» o Distrital de Castelo Branco com toda a força e empenho. Todavia, isso não foi suficiente para que a formação orientada por Matiota evitasse o último lugar da classificação, somando uma vitória e um empate.
A temporada teve início com um pouco usual Torneio Início de Seniores, onde alinharam cinco formações. O Sertanense não efectuou uma prova brilhante, conseguindo apenas uma vitória (5-0 frente à equipa secundária do Desportivo de Castelo Branco) e dois empates (com a equipa de reservas do Sporting da Covilhã e com a formação principal do Desportivo de Castelo Branco).
O arranque a sério estava marcado para Belmonte, onde a equipa realizou o seu primeiro jogo do Distrital de Castelo Branco. Apesar de ter efectuado uma boa primeira parte, o Sertanense saiu vergado, do campo da Casa do Povo de Belmonte, sob o peso de uma goleada (6-2).
Na jornada seguinte, nova deslocação, mas desta feita a Castelo Branco para defrontar o Benfica local. “O jogo começou com uma boa entrada do Sertanense, que logo aos 20 minutos se colocou em vantagem, através de um golo de penalty de Matiota. Antes do intervalo, o Benfica de Castelo Branco conseguiu empatar e na segunda parte a sua mais-valia veio ao de cima”, podia ler-se na crónica da partida, publicada no jornal A Comarca da Sertã, que assim fazia eco da derrota (4-1) averbada neste encontro pela turma da Sertã.

O primeiro jogo em casa trouxe o primeiro ponto. O Teixosense foi o adversário e o empate final (2-2) foi um resultado que, segundo a imprensa da época, se ajustou perfeitamente ao que se tinha passado em campo. Os golos da equipa da casa foram apontados por Ramos e Álvaro Monteiro.
O próximo adversário (Desportivo de Castelo Branco) não era pêra doce. Isso mesmo ficou provado em campo, com a derrota por quatro golos sem resposta.
A sétima jornada do campeonato [o Sertanense folgara na primeira e na sexta ronda] acabou por ser a mais feliz para os comandados de Matiota, que conheceram finalmente o sabor da vitória e logo frente ao Belmonte, que havia «despachado» a formação sertaginense com uma goleada na primeira volta. Desta vez, o resultado foi diferente e o Sertanense venceu (2-0), com golos de Armando Vaz e José Monteiro.

Inspirado pela vitória, a equipa da Sertã quase fazia um brilharete na jornada oito do campeonato, por ocasião da recepção ao Benfica de Castelo Branco. Com uma estratégia muito bem montada e com o guardião Carlos Sousa em tarde inspirada, o Sertanense vendeu cara a derrota (1-0) e podia mesmo ter empatado, não fosse as falhas de finalização dos seus atacantes. A visita ao Teixoso não trouxe boas recordações (derrota por 4-1), o mesmo sucedendo na última jornada da prova, frente ao Desportivo de Castelo Branco (derrota por 3-1).
Legenda-Foto: Matiota e Fernando Camilo foram dois dos jogadores que alinharam na equipa desta época

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Sertanense sofre derrota no terreno do Vitória do Pico


video
Quem sofre golos desta maneira e falha clamorosamente na finalização não pode vencer jogos. Este bem podia ser o título da crónica do jogo que colocou ontem frente-a-frente Vitória do Pico e Sertanense. O treinador sertaginense Joaquim Mendes fez mesmo eco deste discurso no final do desafio, onde a sua equipa perdeu por 3-1.
Com uma formação algo desfalcada (três habituais titulares lesionados e dois castigados), o Sertanense tinha pela frente o último classificado do campeonato e uma equipa que somava apenas um ponto neste campeonato.
Depois de um início equilibrado, o Vitória do Pico chegou ao golo, aos 15 minutos, numa jogada rápida, com Ricky a surgir no lugar certo para finalizar – a defesa do Sertanense poderia ter feito algo mais.
O conjunto do Pinhal não acusou o golo e partiu em busca do empate, que não esteve longe nos minutos seguintes: duas bolas no poste da baliza de Raul Pina deram o sinal, a que é preciso acrescentar um falhanço clamoroso na grande área do Vitória do Pico já com toda a defesa adversária batida.
Depois do descanso, esperava-se um Sertanense mais afoito, mas foram os visitados a chegar ao segundo golo, à passagem do minuto 55, por intermédio do mesmo Ricky – a defesa do Sertanense voltou a não ficar bem na ‘fotografia’.
Seis minutos depois, a formação da Sertã ainda reduziu o marcador: Adérito de cabeça colocou a bola no fundo das redes.
O jogo estava relançado, todavia foi o Vitória do Pico quem voltou a marcar. Hélder Ramos, quando o relógio marcava 78 minutos, apontou o terceiro para os açorianos.
No final do jogo, o desalento era evidente nos jogadores sertaginenses, que podiam ter feito algo mais, até porque a formação do Vitória do Pico é claramente acessível.
A próxima jornada disputa-se no dia 1 de Novembro, altura em que o Sertanense recebe em casa o Eléctrico de Ponte de Sor, que ocupa actualmente a 12.ª posição, com 5 pontos.

Ficha do jogo

Campo de Jogos do Vitória (São Roque do Pico)
Vitória do Pico: Raul Pina, Luciano Serpa, Marcial (Julinho, 80’), Mauro (João Castro, 71’), Kyle, Toni, Rui Oliveira, Ricky (Makukula, 68’), Fábio, Ricardo Costa, Hélder Ramos.
Sertanense: Paulo Salgado, Hugo Ventosa, Flávio Dias, Bruno Grou, Leo Bahia, Leandro, João Frazão (Adérito, 52’), Casquinha (André, 71’), João Boiças, Rui César, Platini (Moisés, 58’).
Golos: Ricky (15’ e 55’) e Hélder Ramos (78’); Adérito (61’)
Imagens do jogo: RTP Açores

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Sertanense recebeu taça de campeão da 3.ª Divisão


O Sertanense recebeu o troféu correspondente ao título de campeão nacional da 3.ª Divisão (Série D), respeitante à época passada, antes do início do desafio entre a formação sertaginense e o F.C. Porto, no último sábado.
O troféu foi entregue no relvado do Estádio do Dragão por um representante da Federação Portuguesa de Futebol.
Este título vem dar um novo colorido à galeria de troféus do Sertanense, que já contava com as taças respeitantes à conquista do Campeonato Distrital de Castelo Branco nas temporadas de 1987/88 e 1999/2000 e a Taça de Honra da Associação de Futebol de Castelo Branco na época de 1994/95. Claro está que nessa mesma galeria figuram também outros troféus, designadamente das equipas de pesca desportiva e atletismo.
Foto publicada no jornal A Bola

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

F.C.Porto-Sertanense visto pelas televisões

O desafio entre o F.C. Porto e o Sertanense mereceu honras de transmissão televisiva, através da SportTv. Além disso, no dia seguinte, vários foram os canais que mostraram pequenos resumos do encontro. É um desses resumos (RTPN) que aqui deixamos hoje, para que todos possam ter um ‘cheirinho’ do que foram aqueles 90 minutos mágicos.
video

FC Porto elimina Sertanense na Taça de Portugal

O Sertanense não foi feliz na sua deslocação ao Estádio do Dragão para defrontar o F.C. Porto. Perante mais de 30 mil espectadores no campo e de mais uns milhares que seguiram a partida pela televisão, os comandados de Joaquim Mendes saíram derrotados por 4-0, um resultado já habitual no confronto entre as duas equipas. Também habitual foram os dois golos apontados por Farías, que já havia bisado nos dois encontros anteriores.
A tarefa não se adivinhava fácil para o Sertanense que pela frente tinha a equipa campeã nacional. A este facto é preciso juntar a estreia da equipa nos grandes palcos do futebol nacional e nos directos televisivos (um momento para mais tarde recordar).
O público aderiu em massa e da Sertã (e não só!) vieram mais de um milhar de adeptos para apoiar o Sertanense. Durante os 90 minutos, e apesar das coisas não estarem a correr de feição, muitas foram as vozes que puxaram pelos nossos jogadores.
O jogo ficou quase sentenciado logo nos instantes iniciais. Aos seis minutos, Hulk na cobrança de um livre, descaído para a direita, deixou ‘pregado’ ao chão o guarda-redes Paulo Salgado.
Uma falha da defesa do Sertanense, quatro minutos depois, permitiu a Farías apoderar-se da bola e rematar na direcção à baliza. O defesa esquerdo Renato, em gesto de desespero, desviou a bola da baliza com a mão – grande penalidade e expulsão do jogador sertaginense. Farías apontou o ‘castigo máximo’ e não falhou.
O endiabrado Hulk voltou a estar em destaque quando, aos 15 minutos, depois de uma arrancada fulgurante pela direita, cruzou para Rodríguez atirar ao lado.
O caso do jogo chegou à passagem do minuto 19, quando o avançado do Sertanense Platini (que para a generalidade da imprensa desportiva foi o melhor em campo da formação da Sertã, juntamente com Paulo Salgado) é derrubado na grande área por Fernando, com o árbitro bem colocado a fazer ‘vista grossa’ ao lance. A partida entrou numa toada mais morna, com o Sertanense a tentar as primeiras aventuras pelo meio-campo adversário, mas sem grandes resultados. O FC Porto continuava a socorrer-se da velocidade dos seus alas para mexer com o jogo.
Os portistas voltaram a ameaçar a baliza dos ‘homens do Pinhal’ aos 35 minutos, altura em que Valeri de livre colocou à prova os reflexos de Paulo Salgado.
O terceiro golo chegaria cinco minutos mais tarde: Rodríguez arranca pela esquerda, dribla Hugo Ventosa, e vai à linha cruzar para Farías, que se antecipa ao guarda-redes sertaginense, fazendo o 3-0.
O intervalo chegou entretanto. Na segunda parte, o FC Porto levantou um pouco o pé do acelerador e a formação da Sertã foi tentando ensaiar algumas jogadas de ataque.
Apesar de ter baixado o ritmo, os ‘azuis-e-brancos’ continuavam de olhos colocados na baliza, protagonizando mais alguns lances de relativo perigo aos 46 (Mariano isola Yero e Paulo Salgado sai aos seus pés evitando males maiores), 49 (remate de pé esquerdo de Sérgio Oliveira ao lado), 52 (livre de Hulk a sair ao lado), 53 (Valeri remata de primeira e Paulo Salgado responde com uma boa defesa) e 64 minutos (Dias, sem marcação na área, remata para mais uma defesa excelente de Paulo Salgado).
O médio do Sertanense Bruno Grou teve nos pés, aos 72 minutos, a melhor oportunidade de golo da equipa: um remate de fora da área, com a bola a não sair muito longe do poste direito de Beto.
O cartão vermelho a Idris dois minutos depois (numa decisão bastante rigorosa do árbitro João Capela) por falta sobre Hulk, à entrada da área, foi a estocada final na turma sertaginense.
Até ao final do desafio, mais um golo para o Porto, por intermédio do incontornável Hulk que, depois de uma assistência de Sérgio Oliveira, remata para o fundo das redes, beneficiando ainda de um desvio de Dias.
No final da partida, o treinador do Sertanense, Joaquim Mendes, era um homem desolado. Em declarações à SportTv, sublinhou: “A expulsão mudou tudo. Quando uma equipa se encontra em desvantagem numa fase inicial do jogo, num lance de bola parada, e é penalizada pouco depois com uma grande penalidade e uma expulsão torna tudo muito mais complicado. Foi necessário alterar toda a estratégia e tudo o que foi trabalhado foi desfeito. Penso que houve, independentemente da valia dos clubes, uma ou eventualmente duas grandes penalidades que deviam ter sido assinaladas a favor do Sertanense. Se tivessem sido marcadas teria sido diferente, mas assim complicou-se ainda mais. Depois disso acho que a equipa merece uma palavra de conforto pela forma como os jogadores que portaram em campo. Queríamos o golo de honra, mas não somos loucos e sabemos as dimensões dos clubes. Havia alguns elementos que podiam dar nas vistas, mas não foi possível depois da expulsão”.
Já Rui César afirmou: “Dou os parabéns ao meus colegas, porque a perder 2-0 nos primeiros minutos e com menos um jogador, é sempre difícil manter o equilíbrio. Mas aconteceu, vamos pensar no próximo jogo, porque o nosso campeonato é outro, isto foi mais uma festa em que tentámos dar o nosso máximo”.
Foi sem dúvida uma grande jornada para o Sertanense (jogadores, directores, massa associativa e adeptos) que, apesar da derrota, escreveu mais uma página gloriosa da sua história de 75 anos. Saibamos louvar e valorizar isso!

Ficha de jogo

FC Porto 4-0 Sertanense
Estádio do Dragão, Porto
Assistência: 30.012 espectadores
Árbitro: João Capela (Lisboa), auxiliado por Tiago Rocha e Inácio Pereira
FC Porto: Beto, Fernando, Maicon, Nuno André Coelho, Prediger, Sérgio Oliveira, Mariano (Alex, 70), Valeri, Rodriguez (Dias, 61), Hulk e Farias (Yero, 46). Suplentes não utilizados – Nuno, Adboulaye, David e Claro).
Treinador: Jesulado Ferreira
Sertanense FC: Paulo Salgado, Hugo Ventosa, Leo Bahia, Flávio Dias, Renato, Filipe Avelar, Leandro, Platini, Rui César (Adérito, 70), João Frazão (Idris, 46) e João Boiças (Bruno Grou, 61). Suplentes não utilizados – Moretto, Bruno Silva, Moisés e Casquinha.
Treinador: Joaquim Mendes
Acção disciplinar: Cartão amarelo a Leo Bahia (56'), Yero (76') e Filipe Avelar (77'). Cartão vermelho a Renato (10') e Idris (74').
Golos: Hulk (6’ e 10’) e Farías (10’ e 40’)

Estatísticas do jogo

Posse de bola: 67 por cento para o FC Porto e 33 por cento para o Sertanense
Pontapés de canto: 5 para o FCP e 1 para o Sertanense
Remates: 26 para o FCP e 2 para o Sertanense
Faltas cometidas: 9 para o FCP e 15 para o Sertanense
Foras-de-jogo: 0 para o FCP e 2 para o Sertanense


Fotos: Paulo Novais (Agência Lusa)

sábado, 17 de outubro de 2009

Estádio cheio para o FC Porto-Sertanense de hoje à noite

Será um Estádio do Dragão completamente cheio aquele que aguarda o Sertanense para o desafio desta noite com o F.C. Porto. A direcção portista já garantiu que os bilhetes estão quase todos vendidos e a festa da Taça é garantida. Os jornais de hoje também dão conta disso.
O Jornal de Notícias voltar a dar destaque aos jogadores sertaginenses. Desta vez foi Leandro o visado. “Teve três oportunidades para jogar num clube grande. Uma no Sporting, duas no Benfica. Mas o destino conduziu-o pelas vias mais sinuosas do futebol. Leandro tem 24 anos, joga no Sertanense, 14.º classificado da 2.ª Divisão Zona Norte, vai defrontar o F. C. Porto no imponente Estádio do Dragão, mas trabalha num simples café restaurante em Cernache do Bonjardim, no concelho da Sertã, onde ajuda a mãe a servir refeições à mesa. «É mais fácil servir os avançados do que os clientes», diz, por entre um sorriso tímido e inocente. Treina ao final do dia e joga ao fim-de-semana, tal como o empregado de escritório Filipe Avelar e o carpinteiro Marco Farinha, os três jogadores trabalhadores do plantel. Cada futebolista ganha, em média, 600 euros mensais”.
Mais à frente no texto escreve-se: “Esta semana, os clientes do estabelecimento alimentaram ambições com as cores do Sertanense. «Um emigrante nos Estados Unidos até me oferece 100 euros se eliminarmos o F. C. Porto» conta. Há uma explicação: esse emigrante é benfiquista ferrenho, a chama clubística que alimenta Leandro. «Por isso, vencer o F. C. Porto seria especial». Do Dragão, diz que gostava «de levar um azulejo do balneário como recordação». «Temos 4% de possibilidades de fazer uma surpresa». É o limite do sonho. «Pode ser que no domingo haja café de borla», diz, meio a brincar e meio a sério”. (
http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Desporto/Interior.aspx?content_id=1393217)
O jornal A Bola fala de um “Sertanense honrado por jogar em casa cheia”, sublinhando de seguida que “o Estádio do Dragão esgotou para receber sábado, o jogo FC Porto-Sertanense. Paulo Farinha, presidente do clube da Sertã diz que será uma «honra» jogar perante 50 mil. «Casa cheia, quem diria! Claro que estou a gostar da ideia, é uma honra. A primeira vez que o Sertanenese joga no Dragão tem casa cheia, só por isso é sinónimo de grande festa»”. (
http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=179678)
No Diário de Notícias, o destaque vai para as bolas do jogo de hoje à noite e para um dos grandes ausentes desta partida (Marco Farinha): “Já se diz que é um ‘clássico’ da Taça de Portugal. E os condimentos para o reencontro, amanhã, entre o FCPorto e o Sertanense, não faltam. Para melhor se adaptarem a todas as condições do Dragão, o campeão nacional emprestou ao adversário de amanhã 10 bolas que são usadas na Liga dos Campeões. Os jogadores da equipa da Beira Interior andam ‘num sino’. Adoram as bolas (...) Na Sertã, até um dos melhores goleadores deste clube da II Divisão (Zona Centro) entra na brincadeira: «Estou lesionado. Acho que o bruxo espanhol que provocou a lesão de Cristiano Ronaldo fez a mesma coisa contra mim», diz ao DN, a rir, mas inconformado, o futebolista Marco Farinha. Resta-lhe assistir aos treinos intensivos da equipa agora orientada por Joaquim Mendes”.(
http://dn.sapo.pt/desporto/porto/interior.aspx?content_id=1392214)
O site Maisfutebol também fala do encontro, mas neste caso a abordagem é um pouco diferente. Uma equipa de filmagens deste site (ligado à TVI) deslocou-se ao Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos e colocou à prova os dotes de pontaria dos jogadores do Sertanense. O resultado final é bastante interessante: (http://www.maisfutebol.iol.pt/horas-vagas/bola-na-barra-maisfutebol-maisfutebol-tvi24-sertanense/1096352-1478.html)

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Jornais dão destaque ao F.C. Porto-Sertanense de amanhã


O jogo de amanhã entre o F.C. Porto e o Sertanense já está a chamar a atenção dos diversos órgãos de comunicação social. Vários jornais aproveitam as suas edições de hoje para publicar ‘peças’ sobre esta partida da terceira eliminatória da Taça de Portugal.
O Jornal de Notícias, por exemplo, titula «Sertanense: O autocarro de todos os sonhos», para escrever de seguida que “amanhã, quando a equipa se deslocar ao Dragão, onde defronta o F. C. Porto pela terceira vez consecutiva na Taça de Portugal, vai percorrer a auto-estrada num autocarro de 27 lugares, comprado há um ano com o dinheiro da receita do primeiro desafio com os dragões, na Sertã: «O encaixe permitiu-nos comprar um autocarro usado. Custou 21 mil euros e veio suprimir uma grande lacuna». O veículo tem 12 anos, foi importado da Alemanha e escolhido pelo próprio presidente. E vai ficar estacionado no parque do estádio. «Não vamos pôr o autocarro à frente da baliza. Vamos dar uma lição que não somos assim tão pequeninos».
O jornalista Norberto A. Lopes continua mais à frente: “A perspectiva de mais uma receita generosa põe Paulo Farinha a sonhar. Agora, o encaixe até pode ser maior em função da lotação do recinto, embora o apuro tenha de ser dividido com os azuis e brancos. «Falei a brincar que podemos comprar um autocarro de dois andares e este ficar para as camadas jovens». Mas era mesmo a brincar. Agora a sério: se a quantia for choruda será aplicada no actual complexo desportivo: «Era um sonho colocar um relvado sintético para as camadas jovens»”. (
http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Desporto/Interior.aspx?content_id=1392085)
O jornal Record também dá destaque a este jogo, tendo entrevistado o jogador do Sertanense Rui César, formado nas escolas do F.C. Porto e que já defrontou os dragões aquando da sua passagem pelo Marítimo. “Há um antigo dragão no plantel do Sertanense. Rui César, 31 anos, tem a escola do FC Porto, onde efectuou grande parte da sua formação, até sair para a equipa B do Real Madrid, em meados dos anos 90. O ‘playmaker’ da formação beirã transferiu-se para os merengues com Zeferino e Tinaia, ainda júnior. A promissora carreira que se adivinhava acabou por não se confirmar. O jogador cabo-verdiano ainda chegou à 1.ª Liga, no Marítimo de Nelo Vingada (duas épocas), esteve depois no Moreirense e, a partir daí, andou por clubes secundários das ilhas, até este ano se fixar na Sertã”, escreve o jornalista Artur Jorge. (
http://www.record.pt/noticia.aspx?id=7f8544a2-3f0c-4b90-b185-1e6794f17ca2&idCanal=00000017-0000-0000-0000-000000000017)
O treinador Joaquim Mendes foi o escolhido pelo jornal A Bola para falar desta partida. “O treinador do Sertanense, Joaquim Mendes, vai estar ao leme das operações da equipa no próximo desafio com o FC Porto, a contar para a terceira eliminatória da Taça de Portugal, e revela que há certos pormenores que poderão ser utilizados para tirar vantagem e vencer no Dragão”.
O técnico revela, em entrevista ao mesmo diário desportivo: “«Sabemos que há algumas situações que podemos explorar», refere o técnico do emblema da Sertã, que defronta os ‘azuis-e-brancos’ pela terceira vez consecutiva na prova, mas a primeira em que vai ao Estádio do Dragão”. (
http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=179534)
Joaquim Mendes foi igualmente entrevistado pelo Diário de Notícias, onde aproveitou para sublinhar que “vamos defrontar um dos maiores clubes do mundo”. Para o treinador do Sertanense, este “é daqueles jogos em que até dá vontade de entrar em campo, pelo prazer de defrontar uma grande equipa”. E acrescenta: “Acredito no jogo, sabendo, de antemão, que as probabilidades são reduzidíssimas. O FC Porto é só um dos maiores clubes do mundo. E tenho muito respeito por Jesualdo Ferreira”. (
http://dn.sapo.pt/desporto/porto/Interior.aspx?content_id=1392480)
A Agência Lusa, por seu lado, dava conta hoje de madrugada de que “o jogo FC Porto-Sertanense, a disputar sábado, para a Taça de Portugal em futebol, pode vir a ter lotação esgotada, tendo em conta que já estão vendidos mais de 45.000 do total de 50.000 lugares do Estádio do Dragão”.
“Esta afluência invulgar de público resulta da soma dos 27.000 lugares anuais adquiridos pelos sócios portistas no início da época, aos 14.000 que já se venderam ao preço de um euro para os sócios do FC Porto e do Sertananse, e a dois euros para os não sócios, e aos 3.000 bilhetes que foram distribuídos por escolas do Grande Porto e da Sertã, de onde virão ainda 1.500 outros adeptos”, sublinha aquela agência noticiosa.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Direcção organiza viagem para quem quiser assistir ao jogo de sábado com o Porto


O jogo da Taça de Portugal entre o Sertanense e o F.C. Porto já está a mexer. Para todos aqueles que não querem perder pitada deste desafio, a Direcção do Sertanense Futebol Clube está a organizar uma excursão que levará sócios e simpatizantes da nossa colectividade ao Estádio do Dragão.
Para o efeito, a Direcção vai disponibilizar seis autocarros e os bilhetes para esta partida. Os preços são os seguintes:

- Sócios: 15 euros (com direito à viagem de autocarro e a um bilhete para a bancada central do Estádio do Dragão). Para os que apenas quiserem fazer a viagem de autocarro, o preço é de 10 euros

- Novos sócios: 20 euros (com direito a viagem de autocarro, bilhete para a bancada central do Estádio do Dragão e quotas pagas até Dezembro de 2009)

- Para os sócios que apenas desejem adquirir o bilhete, o preço é de 4 euros (lugar na bancada central)

- Para os simpatizantes que só pretendam bilhetes, a Direcção tem ingressos para Não Sócios a 2 euros (lugares atrás de uma das balizas)

Todos os interessados em inscrever-se nesta iniciativa, ou em adquirir bilhetes, podem dirigir-se diariamente e até sexta-feira (das 16 às 21 horas), à sede do clube.
No sábado, a sede do clube estará aberta a partir das 9h30m para que todos aqueles que ainda não se inscreveram nesta iniciativa o possam fazer.
A partida dos autocarros acontecerá pelas 14h30m de sábado.
Vamos encher os seis autocarros e apoiar o Sertanense!!!

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Sertanense e FC Porto encontram-se na SportTV


É um acontecimento verdadeiramente inédito. O jogo entre o FC Porto e o Sertanense Futebol Clube, a contar para a Taça de Portugal, vai merecer honras de transmissão televisiva. O desafio será transmitido pela SportTV, no dia 17 de Outubro (sábado), a partir das 20h15m.
A confirmação desta notícia chegou ontem através do website da Federação Portuguesa de Futebol, que anunciou a transmissão de mais outros dois jogos da terceira eliminatória da Taça de Portugal: Monsanto-Benfica (17 Outubro, 18h15m, TVI) e o Sporting-Penafiel (18 Outubro, 18h15m, SportTV).
Para quem não puder ir ao estádio, aqui fica uma excelente oportunidade de ver o Sertanense em acção.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Sertanense empata com o Tondela


O Sertanense empatou (1-1) com o Tondela, em partida a contar para a quarta jornada do Campeonato Nacional da 2.ª Divisão (Zona Centro). Com este resultado, a equipa da Sertã manteve o 13.º lugar da classificação.
Depois de duas derrotas nas duas últimas jornadas, o Sertanense apostava num regresso aos bons resultados. O Tondela não era o melhor dos adversários, até porque a formação visitante ocupava os lugares cimeiros da classificação.
Segundo a crónica de jogo do Jornal de Notícias, “o Tondela não se deixou ‘enrolar’ na táctica local, optando por também não suprimir a sua ao longo da partida. Assim, o futebol produzido não foi da qualidade que se desejava.
As oportunidades de golo escassearam para ambos os lados, no entanto, aos 71 minutos, um lance duvidoso acaba em grande penalidade a favor do Tondela. Na conversão, Piojo não falhou.
Joaquim Mendes fez entrar André e ganhou a aposta, pois este marcou o golo do empate que se aceita e castiga as equipas”.
O conjunto sertaginense ocupa actualmente um incómodo 13.º lugar, apesar de estar a somente três pontos do terceiro classificado. Na próxima jornada, que só se realiza a 25 de Outubro, o Sertanense desloca-se à ilha do Pico para defrontar o Vitória local.
Uma semana antes (17 de Outubro), temos ‘jogo grande’ no Estádio do Dragão. O FC Porto recebe o Sertanense, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal.

Ficha de jogo

Sertanense 1-1 Tondela
Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos (Sertã)
Sertanense: André Moretto, Hugo Ventosa, Flávio, Frazão, Leandro, Rui César, João Boiças, Bruno Grou (Adérito), Platini (André), Casquinha (Filipe Avelar) e Leo Bahia.
Tondela: Bruno Sousa, Luís Miguel (João Antunes), Luís Carvalho, Diego, Carlos André, Xico, Gomes (Vítor Borges), Penela, Piojo, Jefferson (Nuno Pedro), Tarzan.
Golos: Piojo (71’) e André.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Equipas do passado: Sertanense em 1970/71

Iniciamos hoje uma viagem às equipas de futebol oficial que marcaram o passado do Sertanense. Começamos por 1970/71, época em que o conjunto sertaginense se estreou nos campeonatos distritais da Associação de Futebol de Castelo Branco.
O primeiro jogo oficial aconteceu diante do Benfica e Castelo Branco, no dia 2 de Maio de 1971. A partida disputou-se no campo da Abegoria, na Sertã. Os albicastrenses dominaram o jogo, mas o Sertanense aguentou-se bem e só perto do final da primeira parte (39´) sofreu o primeiro golo, na sequência de uma grande penalidade.
Na segunda parte, o Benfica e Castelo Branco apontou mais dois golos mas os jogadores da Sertã não esmoreceram e, já perto do final, António Pires marcou o primeiro golo do Sertanense em competições oficiais.
Na segunda jornada, a formação orientada por Matiota folgou, ao passo que na terceira jornada, o Sertanense foi goleado (8-1) pelo Covilhã-e-Benfica. O golo de honra foi marcado por António João.
Nova derrota no fim-de-semana seguinte – o Teixosense veio à Sertã vencer por 5-1, num desafio em que Ângelo Horta apontou o único golo dos visitados.
A deslocação às Minas da Panasqueira não deixou saudades, fruto da derrota averbada (2-1). Ainda assim, na crónica do jogo, assinada por Raul Simões no jornal «A Comarca da Sertã», o comportamento dos jogadores foi elogiado: “O Sertanense fez neste jogo uma excelente exibição, conseguindo em algumas partes do jogo dominar as operações”.

No primeiro jogo da segunda volta, o clube averbou nova derrota (4-1) no terreno do Benfica e Castelo Branco. Todavia, e depois de uma jornada de folga, a vitória chegou finalmente e diante do Covilhã-e-Benfica, que na primeira volta tinha infligido uma derrota humilhante (ainda hoje é a pior da história do Sertanense). Quatro golos sem resposta (dois de Monteiro, um de Vítor Cavalheiro e outro de Farinha) selaram o resultado em 4-0.
Mas na ronda seguinte, este excelente resultado não encontrou sequência, em virtude da derrota averbada (6-3) na deslocação ao Teixoso.
No último jogo do campeonato, grande partida e brilhante resultado (2-2), na recepção ao Minas da Panasqueira, que se sagraria campeão distrital nesta temporada. A equipa da Sertã foi a primeira a marcar por intermédio de Matiota, mas a formação mineira reagiu e passou para a frente do marcador, com golos de Abreu e Zeca.
Não cedendo, a turma da casa foi para a frente e, quando já poucos acreditavam, Monteiro igualou a contenda aos 85 minutos de jogo.
O treinador Matiota fazia no final da época em entrevista ao jornal «A Comarca da Sertã», o balanço da participação no distrital: “Estou plenamente satisfeito com a equipa. Não fizemos um campeonato melhor, pois além de não termos uma equipa-base, faltou-nos uma preparação adequada antes do campeonato começar. Agora, já com jogos e mais rodada, a equipa está a dar melhor rendimento. Se continuarmos a trabalhar com vontade, podemos fazer bons resultados e dar prestígio à Sertã”.


Fontes: Sertanense – 75 anos de História, A Comarca da Sertã, Renovador, Reconquista e Jornal do Fundão

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Sertanense derrotado em Oliveira do Bairro


O Sertanense não voltou a ser feliz na jornada deste fim-de-semana do Campeonato Nacional da 2.ª Divisão (Zona Centro). Na partida diante do Oliveira do Bairro, os comandados de Joaquim Mendes saíram derrotados (2-1), caindo para o 13.º lugar da classificação.
A partida não era fácil, apesar de pela frente estar um adversário directo do clube sertaginense na luta pela manutenção. A sorte não esteve do lado do Sertanense durante o jogo e o trabalho da equipa de arbitragem também não foi dos melhores.
Aqui fica a crónica do jogo, publicada pelo Diário de Aveiro, na edição de domingo passado: “O Oliveira do Bairro alcançou a primeira vitória no Campeonato num jogo em que a felicidade esteve sempre do seu lado. Coube ao Sertanense as ‘despesas’ do confronto, sobretudo antes do primeiro e depois do segundo golo, mas esse estado de maior domínio foi deveras inconsequente, já que valeu apenas um golo e, no fim, zero pontos. É certo que a equipa da casa também teve o seu mérito, principalmente na forma eficaz como aproveitou os deslizes alheios.
O golo inaugural, obra de Hugo Paulo, foi o espelho fiel dessa matreirice ofensiva. Moretto largou uma bola relativamente fácil após um lançamento de linha lateral e o centro-campista foi o mais lesto a aproveitar o erro. Os visitantes acusaram o golpe e a sua leveza de processos passou para um patamar de evidente menor fulgor.
A etapa complementar trouxe, no entanto, um conjunto serrano revigorado, empreendedor e combativo, estado que valeu o alcançar da igualdade, logo aos três minutos. Na sequência de vários cruzamentos, o derradeiro encontrou a cabeçada certeira de João Boiças. Cinco minutos bastaram para o Oliveira do Bairro voltar a colocar em pratica a sua experiência, que lhe garantiu ‘cavar’ uma grande penalidade que Paulo Costa se encarregou de converter.
Se o golo foi um golpe duro, a expulsão de Pedro Miguel, na sequência do castigo máximo, fez aumentar de sobremaneira as dificuldades do Sertanense. Curiosamente, a partir daí, a formação de Joaquim Mendes mandou no jogo e tentou de todas as formas voltar a colocar-se na senda dos pontos, perante um Oliveira do Bairro a viver à sombra dos louros conquistados até então. As intenções, contudo, não forma suficientes, porque a felicidade esteve definitivamente de braço dado com os locais. Arbitragem medíocre”.


Ficha de jogo

Estádio Municipal de Oliveira do Bairro
Árbitro: Humberto Teixeira (Porto)
Oliveira Bairro: Mário Júlio, Paulo Costa, Xavier, Allan, Leandro, Éder, Hugo Paulo (H. Justiça, 73’), Miguel Tomás (Pedro Costa, 59’), Alexis (Jean, 77’), Luís Barreto e Dany.
Sertanense: Moretto, Hugo Ventosa, Pedro Miguel, Leo Bahia, Platini, Idris (Casquinha, 46’), Leandro, Rui César, João Boiças, Adérito (Marco Farinha, 28’) e Bruno Grou.
Golos: Hugo Paulo (33’) e Paulo Costa (53’ gp); João Boiças (48’).


No próximo fim-de-semana, o Sertanense recebe o Tondela, que ocupa neste momento a quarta posição da tabela classificativa, com seis pontos.

Sertanense também participa nos escalões mais jovens


Os escalões mais jovens (iniciados, infantis e escolas) do futebol distrital de Castelo Branco também já viram, durante a passada semana, os seus sorteios efectuados. O Sertanense participa em todos os escalões, à semelhança do que sucedeu na época passada.
Iniciados: O Sertanense participa pela 15.ª vez nesta competição e foi colocado na Série B. Na primeira jornada (10 de Outubro), desloca-se ao terreno do Desportivo de Castelo Branco. Os restantes jogos da primeira volta são: Valongo (casa), Alcains (fora), Proença-a-Nova (fora) e Vilarregense (casa).
Infantis: Esta será a 10.ª presença do Sertanense num campeonato deste escalão. O sorteio ditou que, na primeira jornada (17 de Outubro), o conjunto sertaginense jogasse em Vila de Rei, com a equipa local, o Vilarregense. O escalonamento dos jogos seguintes da primeira volta: Valongo (casa), Estação (fora), Desportivo Castelo Branco (casa), Idanhense (fora), Sporting Covilhã (fora), Belmonte (casa), Benfica Castelo Branco (fora) e Académico Fundão (casa).
Escolas: Feitas as contas, o Sertanense vai entrar pela 8.ª vez num campeonato distrital deste escalão. O Desportivo de Castelo Branco é o primeiro adversário (17 Outubro – jogo na capital de distrito), seguindo-se os restantes jogos: Teixosense (casa), Benfica Castelo Branco (casa), Sporting Covilhã (fora), Estação (casa), Académico Fundão (fora) e Valongo (casa).
Infantis B: O Sertanense integra também o campeonato de Infantis B. Na primeira jornada (17 de Outubro), os ‘miúdos’ da Sertã recebem o Alcains. Também presentes nesta Série B estão as formações do Valongo, Vitória Sernache, Desportivo Castelo Branco, Carapalha e Benfica Castelo Branco.

Foto: Cortesia de http://geracao-1996-sccovilha.blogspot.com/

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Juvenis já têm calendário para esta época


A Associação de Futebol de Castelo Branco procedeu ao sorteio do Campeonato Distrital de Juvenis, na passada segunda-feira. O Sertanense, que participa pela 19.ª vez nesta competição, desloca-se na primeira jornada (18 de Outubro) ao terreno do Valongo.
Agrupando nove equipas, o Distrital de Juvenis desta época promete ser muito competitivo. O Sertanense, depois do 6.º lugar alcançado na última temporada, pretende fazer uma prova à altura das suas credenciais.
Após o desafio da primeira jornada diante do Valongo, a formação sertaginense recebe o Académico do Fundão, folgando na ronda seguinte. Os restantes jogos da primeira volta são: Vitória Sernache (fora), Desportivo Castelo Branco (casa), Belmonte (fora), Idanhense (casa), Estação (fora) e Oleiros (casa).

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Juniores conheceram adversários do Campeonato Distrital

O sorteio do Campeonato Distrital de Juniores da AF Castelo Branco, que contou com a presença do Sertanense Futebol Clube, decorreu na passada segunda-feira, na capital de distrito. A prova incluirá oito equipas e o conjunto da Sertã recebe, na primeira jornada (10 de Outubro), o Vitória de Sernache.
Esta é a 26.ª presença do Sertanense no Distrital de Juniores, prova em que a formação sertaginense se estreou na temporada de 1974/75.
Depois de defrontar o conjunto de Cernache do Bonjardim, na jornada inaugural, os jovens da Sertã deslocam-se ao Fundão para defrontar a Desportiva local.
Os restantes jogos da primeira volta serão diante da Estação (casa), Valongo (fora), Idanhense (casa), Proença-a-Nova (casa) e Belmonte (fora).

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

F.C. Porto - Sertanense: o ‘clássico’ da Taça de Portugal



Pode parecer mentira, mas o que é facto é que o Sertanense vai voltar a reencontrar o Futebol Clube do Porto, numa eliminatória da Taça de Portugal. O sorteio realizado esta manhã, na sede da FPF, colocou frente-a-frente estas duas equipas, que já se defrontaram nas duas últimas épocas, com os portistas a saírem vencedores sempre pelo mesmo resultado (0-4). O novo desafio terá lugar no dia 17 de Outubro, no Estádio do Dragão (Porto).
“É quase um clássico da Taça de Portugal. Desta vez será o F.C. Porto a receber o Sertanense e tentaremos ser tão hospitaleiros como foram connosco. Mas, obviamente, é um jogo para ganhar”, sublinhou Acácio Valentim, Team Manager do F.C. Porto.
Quem também falou em clássico foi Paulo Farinha, presidente do Sertanense: “Já estava a contar com este reencontro, sinceramente. Este jogo já é um clássico e um clássico joga-se todos os anos”, afirmou ao site Maisfutebol, acrescentando: “Temos tido sorte, de facto, mas não caímos aqui de pára-quedas. Eliminámos o Gondomar na ronda anterior e queremos fazer frente ao F.C. Porto”.
Paulo Farinha referiu ainda que “a receita do primeiro jogo permitiu-nos adquirir um autocarro em segunda-mão. Mas agora queremos um de dois andares. Por isso vamos organizar várias excursões e levar muita gente ao Estádio do Dragão para que a receita seja boa e nos permita ajudar a chegar a esse objectivo”.
O plantel do campeão nacional, e detentor da Taça de Portugal, foi alvo de várias alterações nesta temporada, mas a equipa orientada por Jesualdo Ferreira continua a estar recheada de grandes jogadores, nomeadamente Bruno Alves, Raul Meireles, Falcão ou Hulk.

Força Sertanense!!!