terça-feira, 25 de julho de 2017

Sertanense estreia-se no Campeonato de Portugal diante do Marítimo B



O Sertanense já conhece o seu calendário para a próxima época futebolística. A equipa da Sertã vai participar novamente no Campeonato de Portugal Prio, disputando nesta temporada a Série C. A estreia do emblema sertaginense na prova acontece a 20 de agosto, altura em que recebe a formação do Marítimo B.
Nas jornadas subsequentes, o Sertanense disputa os seguintes desafios: Benfica Castelo Branco (fora; 27 de agosto), Marinhense (casa; 10 de setembro); Sourense (fora; 17 de setembro); Anadia (casa; 30 de setembro); Águeda (fora; 8 de outubro); União de Leiria (fora; 22 de outubro); Mortágua (casa; 29 de outubro); Gafanha (fora; 5 de novembro); Lusitano de Vildemoinhos (casa; 12 de novembro); Águias de Moradal (fora; 26 de novembro); Nogueirense (casa; 3 de dezembro); Ferreira de Aves (fora; 10 de dezembro); Oleiros (casa; 17 de dezembro) e Fornos de Algodres (fora; 7 de janeiro). Na segunda volta, a ordem dos jogos casa/fora inverte-se.  
O Campeonato de Portugal Prio apresenta, nesta época de 2017/18, diversas novidades. A prova será disputado por 80 clubes divididos em cinco séries de 16 clubes. Estes jogam entre si, duas vezes e por pontos, uma na qualidade de visitante e outra na de visitado.
O clube melhor classificado de cada uma das séries, bem como os três clubes melhor classificados no 2.º lugar de todas as séries qualificam-se para disputar um play-off, de forma a determinar quais os dois clubes que sobem à competição profissional.
No play-off, os oito clubes disputam uma eliminatória, definida por sorteio, a duas mãos, qualificando-se os quatro vencedores para a eliminatória seguinte.
Os quatro clubes vencedores disputam uma outra eliminatória, definida por sorteio, a duas mãos, qualificando-se os dois vencedores para subirem à competição profissional e para disputarem uma final, em campo neutro, destinada a determinar o campeão.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Sertanense – Balanço da época 2016/17 no Campeonato de Portugal



O Sertanense esteve à beira do paraíso, quase desceu ao inferno e terminou são e salvo após uma época futebolística onde os extremos se tocaram. O principal objetivo (manutenção) foi alcançado e a formação da Sertã estará novamente no Campeonato de Portugal, na temporada de 2017/18.
A impressionante série de cinco vitórias consecutivas nas primeiras cinco jornadas do campeonato parecia antecipar uma época em grande para o emblema sertaginense. Quinze pontos ao cabo de cinco jogos era um pecúlio impressionante para uma equipa que nem surgia no lote dos favoritos. O empate (0-0) à sexta jornada, diante do Benfica de Castelo Branco, foi considerado como um resultado normal mas a primeira derrota chegou logo depois, no derby local frente ao Vitória de Sernache.
Líder até à sexta jornada, o Sertanense caiu para a segunda posição, recuperando o comando da prova à oitava jornada, depois de uma brilhante vitória no terreno do Operário.
No final da primeira volta, a derrota diante do Fátima atirou os sertaginenses para o segundo posto da tabela classificativa.
Apesar de uma certa irregularidade no começo da segunda volta, com duas vitórias, dois empates e uma derrota, o triunfo no reduto do Benfica de Castelo Branco alicerçou o Sertanense no segundo lugar e em zona de se apurar para a fase de subida à Segunda Liga. Essa condição foi reforçada pela vitória diante do Vitória de Sernache, à passagem da 16.ª jornada.
O jogo da 17.ª jornada em casa com o Operário era decisivo – uma vitória garantia praticamente o acesso à fase de subida mas até o empate poderia chegar, dada a vantagem no confronto direto sobre o então terceiro classificado, Sporting Ideal.
Depois de um jogo muito disputado e equilibrado, o conjunto da Zona do Pinhal soçobrou nos instantes finais da partida e foi derrotado por 1-3 (os golos do Operário foram marcados nos últimos dez minutos do desafio).
Ainda assim, o Sertanense conseguiu manter a segunda posição mas a tarefa para conservar esse lugar era complicada – na última jornada, a deslocação ao terreno do líder Fátima não era fácil e o ponto de diferença para os terceiros era margem muito curta.
O pior cenário confirmou-se: derrota em Fátima e vitória dos perseguidores. Os sertaginenses acabaram em quarto, com o Operário a garantir a última vaga de acesso à fase de subida.
Era agora preciso lutar pela vida na fase de manutenção do Campeonato de Portugal. E cedo se percebeu que a desilusão por não terem logrado o acesso à fase de subida teria efeitos sobre os jogadores. Um início de prova titubeante, com dois empates e uma derrota fez soar os alarmes, amenizados por duas vitórias fora de portas (Angrense e Alcobaça) e por dois empates caseiros.
A segunda volta da fase de permanência foi uma verdadeira descida aos infernos. Ao cabo de quatro jogos, dois empates e duas derrotas e o espectro cada vez mais presente de o clube poder ter que disputar o sempre perigoso play-off de descida.
A derrota em casa com o Angrense foi a gota de água. Num fim de jogo quente, com adeptos, treinador e jogadores a envolverem-se em trocas de palavras bastante azedas, o destino parecia ter ficado traçado: Gonçalo Monteiro, que orientara a equipa desde o início da época, acabou substituído por Filipe Moreira.
A serenidade parece ter regressado à equipa, que somou duas vitórias nos dois jogos seguintes, garantindo assim a permanência antes da última jornada. Sem pressão de qualquer género, o Sertanense terminou a prova com uma derrota nos Açores, no reduto do Sporting Ideal.
A título de curiosidade, deixamos aqui o registo de jogos/golos dos jogadores que alinharam pelo Sertanense na presente época. Refira-se que o capitão Kelvin, bem como os defesas Danilson e Tito Júnior alinharam em todos os 32 desafios desta temporada. Por seu lado, Grinood foi o melhor marcador com oito golos apontados.
Plantel: Miguel Assunção (11 jogos), Ravi Paschoa (21 jogos) Paulo Salgado (0 jogos), Allex Nunes (0 jogos), Michel (1 jogo), Pedro Machado (19 jogos e 1 golo), Kelvin (32 jogos e 3 golos), Grinood (28 jogos e 8 golos), Mauro (29 jogos e 6 golos), André Romão (30 jogos e 7 golos), Angola (30 jogos e 6 golos), Danilson (32 jogos), Ruben Freire (30 jogos), Tito Júnior (32 jogos e 2 golos), Vítor Martelo (23 jogos e 2 golos), Sérgio Uolu (21 jogos), Neymar Canhembe (29 jogo e 1 golo), Ruizinho (13 jogos e 2 golos), Sandro (8 jogos), Ricardo Oliveira (1 jogo e 1 golo), Ká (27 jogos e 4 golos), Samir (5 jogos), Mohamed Kaba (7 jogos), Telmo Marcos (1 jogo), João Silva (1 jogo), Max (0 jogos), André Ferreira (0 jogos), Rodrigo Silva (0 jogos) e Eduardo Mendonça (0 jogos).     

terça-feira, 6 de junho de 2017

Sertanense é campeão distrital de infantis



O Sertanense conquistou o Campeonato Distrital de Infantis (variante de futebol 7) da Associação de Futebol de Castelo Branco, depois de vencer a fase de apuramento do campeão. Os jovens sertaginenses somaram 37 pontos nesta fase, tendo vencido 12 dos 14 jogos que realizaram. Alcains e Belmonte posicionaram-se nos lugares seguintes.
A equipa de infantis do Sertanense não teve um bom arranque no Campeonato Distrital, conseguindo apurar-se para a fase final, após lograr um sétimo lugar (passavam os oito primeiros). Nesta primeira etapa, a formação da Sertã registou oito vitórias e seis derrotas, tendo marcado 39 golos e sofrido 34.
Na derradeira fase, tudo foi diferente. Os pequenos campeões mostraram toda a sua raça e ao longo de 14 jornadas, obtiveram 12 vitórias, um empate e uma derrota (esta na última jornada, quando tudo estava já decidido).
Ricardo Antunes, o técnico desta equipa, disse à Rádio Condestável que foi uma “alegria enorme ver os miúdos a festejar; nestas idades mais importante que ganhar é eles estarem divertidos dentro de campo e fazerem o que gostam”.
O treinador sublinhou que os resultados alcançados são fruto “da aplicação que [os jogadores] têm tido nos treinos e isso reflete-se dentro de campo.