domingo, 27 de Julho de 2014

Sertanense já trabalha para a nova época



A equipa do Sertanense iniciou recentemente a preparação para a época futebolística de 2014/15. São várias as novidades no plantel sertaginense, agora treinado pelo jovem técnico Sérgio Gaminha (ex-adjunto de Costinha no P. Ferreira e Beira-Mar). 
Os objectivos para a nova temporada foram já fixados. O treinador, em declarações à Rádio Condestável, revelou que quer “tentar fazer melhor que na época passada”, admitindo, inclusive, intrometer-se na luta pela subida de divisão.
O plantel da época 2014/15 ainda não está fechado, mas conta actualmente com os seguintes jogadores: Luís Pedro, Gustavo (ex-Tourizense), Galvão (ex-Fátima), Bruno Cardoso, Wellinton, Ruben Nogueira (ex-Manteigas), Diogo Farinha (ex-júnior), Dino, Mauro (ex-Pampilhosa), Leandro, Lucas, Ivan (ex-Pampilhosa), Edu (ex-Mafra), David (ex-júnior), Bruno Grou (ex-Académico de Viseu) e Nakata (proveniente de um clube brasileiro).
No passado sábado, o Sertanense realizou um jogo treino com a formação do Proença-a-Nova e venceu por 2-0.

segunda-feira, 21 de Julho de 2014

Equipas do passado: Sertanense em 1987/88



Era um objectivo há muito sonhado e que dividia opiniões na vila da Sertã: a subida à 3.ª Divisão Nacional. Em 1979, esse objectivo esteve quase a ser alcançado, o mesmo sucedendo na época de 1986/87. Todavia, foi preciso esperar até à temporada de 1987/88 para conseguir tal desiderato.
Os números finais podem indiciar que o campeonato foi fácil para o Sertanense, mas isso não corresponde minimamente à verdade, como sublinhou o treinador do Sertanense, António Pereira, no final da prova, em entrevista ao jornal A Comarca da Sertã: “Foi um título muito difícil. Embora as pessoas digam que foi extremamente fácil, eu não sou dessa opinião, porque além do nível das equipas que estiveram contra nós, ainda tivemos um problema muito grande – é que a Sertã, ao nível da arbitragem, deve estar muito mal vista, por causa dos problemas que se antecederam no clube e todas equipas de arbitragem prejudicaram o Sertanense. Tivemos de facto a felicidade de ser uma equipa superior, uma equipa humilde e foi essa humildade que nos levou à conquista do título”.
O título começou a construir-se mais cedo, bem antes da época se ter iniciado. A Direcção do Sertanense, comandada por Luís Farinha, assegurou, desde logo, a continuidade de boa parte dos jogadores que haviam integrado o plantel na época anterior, a que se juntaram alguns juniores de grande valia como Luís Salgueiro e Rui Gouveia e mais três reforços de equipas vizinhas.
A contratação de António Pereira para o cargo de treinador foi um bom exemplo das aspirações do clube para este campeonato, uma vez que o técnico era um homem com alguma experiência no futebol nacional.
A estreia do Sertanense no Distrital não foi feliz, uma vez que a equipa saiu derrotada (0-1) da deslocação ao terreno do Desportivo de Castelo Branco. Com a segunda jornada chegou a primeira vitória (3-2 ao Covilhã-e-Benfica), seguindo-se um empate (1-1) em Proença-a-Nova.
As surpreendentes derrotas em casa com o Paul e fora com o Águias de Moradal (ambas por 1-0) fizeram soar o alarme entre os jogadores, que, a partir da sexta jornada, encetaram uma caminhada triunfante de nove vitórias consecutivas, com alguns resultados bem dilatados pelo meio (8-0 ao Idanhense e 5-2 ao Teixosense).
Este fantástico ciclo foi apenas interrompido à passagem da 15.ª jornada, com uma derrota (0-3) no campo do Covilhã-e-Benfica. Depois deste desaire, mais uma série de nove vitórias consecutivas.
A supremacia da formação sertaginense foi reconhecida por todos. Os jornais do distrito não poupavam elogios e os sócios acorriam em massa aos jogos da equipa. Silva João, Mota, Luís António, Henrique, Alfredo, Salgueiro, Carlos Marcelino, Girão, José Marques, Jorge Coelho, Rui Barata, José Carlos, Rui Gouveia, Paulino ou Vítor Farinha eram alguns dos jogadores que, com o seu futebol, faziam as gentes da Sertã sonhar mais alto.
E o sonho tornou-se realidade. Um empate (1-1) nos Escalos de Cima e uma goleada (5-0) ao Teixosense foram os últimos capítulos de uma história que teve um final feliz: a subida à 3.ª Divisão Nacional. E o clube ainda arrecadou a Taça Disciplina no final da prova.
Esta temporada ficou ainda marcada pela estreia do Sertanense em competições de cariz nacional, neste caso a Taça de Portugal. Depois de ter ficado isento na primeira eliminatória, o conjunto da Sertã saiu derrotado (1-2) do confronto diante do Fátima.

segunda-feira, 7 de Julho de 2014

Sertanense na Série F do Campeonato Nacional de Seniores



O Sertanense vai integrar, na próxima temporada, a Série F do Campeonato Nacional de Seniores. Ao contrário do previsto inicialmente a formação da Sertã não actuará na série do Benfica de Castelo Branco e Vitória de Sernache (Série E), devido a questões de recomposição e acerto dos grupos das equipas da zona Sul do país.
Deste modo, o Sertanense encontrará na Série F as equipas do Alcanenense, Caldas, Fátima, Ouriense, Riachense, Mafra, Eléctrico de Ponte de Sôr, Torreense e União de Leiria. A grande maioria destes conjuntos já defrontou os sertaginenses em anos anteriores, excepção feita ao Ouriense, que nunca jogou com o emblema da Zona do Pinhal em competições oficiais.
O sorteio dos jogos ainda não aconteceu, mas já foi anunciado que o campeonato terá início a 24 de Agosto. Quanto à primeira eliminatória da Taça de Portugal (onde o Sertanense também participa), está marcada para o dia 6 de Setembro (sábado).
Sobre o plantel da época que se avizinha, ainda não existem novidades.

terça-feira, 17 de Junho de 2014

Balanço da época: Sertanense com estreia muito positiva no Campeonato Nacional de Seniores



O Sertanense igualou esta temporada a sua melhor classificação de sempre em nacionais de seniores, ao ser quarto posicionado na fase final do Campeonato Nacional de Seniores (Zona Sul). Recorde-se que, na temporada transacta, a formação sertaginense havia alcançado o quarto lugar na última edição do Campeonato Nacional da 2.ª Divisão (Zona Sul).
Esta época não começou de feição para o Sertanense, que registou duas derrotas nas duas primeiras jornadas, seguindo-se um empate no terreno do Águias do Moradal. O nervosismo era já evidente entre as hostes sertaginenses e só a goleada diante do Manteigas veio acalmar os ânimos. A partir de então, a equipa da vila da Sertã encetou uma recuperação notável, tendo conseguido nas onze jornadas seguintes, nove vitórias e dois empates. O ciclo só foi quebrado pela derrota diante do Benfica de Castelo Branco, mas ainda assim sem quaisquer consequências de maior, visto que o Sertanense já garantira a presença na fase final do Campeonato Nacional de Seniores, com o segundo lugar que ocupava.
 A fase final até começou bem, com o conjunto da Zona do Pinhal a terminar a primeira volta no segundo lugar, uma posição que dava acesso ao playoff de subida à II Liga. Todavia, a segunda volta foi algo aziaga, com duas derrotas comprometedoras (Oriental e Benfica de Castelo Branco) a deitarem por terra quaisquer aspirações. Ainda assim, o Sertanense conseguiu terminar na quarta posição, com menos um ponto do que o terceiro (União de Leiria).
Um último destaque para realçar a carreira do Sertanense na Taça de Portugal, na qual foi eliminado apenas na quarta eliminatória pelo Rio Ave, equipa que chegaria à final da competição. Antes de ser derrotado pelos vilacondenses, a turma sertaginense deixou pelo caminho Anadia, Amora e Grandolense.
Os jogadores que alinharam pelo Sertanense nas duas fases do Campeonato Nacional de Seniores foram: Luís Pedro (15 jogos), Paulo Salgado (6 jogos), Tiago Martins (13 jogos), Thiago Crispin (9 jogos e 1 golo), Hugo Simões (29 jogos e 1 golo), Bruno Cardoso (31 jogos), Min Woo (1 jogo), Dino (29 jogos e 4 golos), Kiki (30 jogos e 6 golos), Weliton (2 jogos), António (27 jogos e 1 golo), Rony (25 jogos e 1 golo), Issouf (9 jogos), Renato Silva (13 jogos e 2 golos), Leandro (29 jogos), Barreto (11 jogos), Alex (30 jogos e 6 golos), Haiwei Zhu (3 jogos), André Ferreira (5 jogos), Yu Fei (9 jogos), Lucas (13 jogos e 1 golo), Nuno Teixeira (23 jogos e 1 golo), Jair (3 jogos), Lukinha (16 jogos e 3 golos), Rafael Silveira (29 jogos e 21 golos), Traquina (20 jogos e 3 golos), Nuno Moreira (3 jogos), Ibrahima (3 jogos), Nilson (9 jogos) e Vinicius (1 jogo). 

Balanço das camadas jovens: equipas em bom plano nos distritais



As equipas jovens do Sertanense tiveram um excelente comportamento nos campeonatos distritais em que estiveram envolvidos, com destaque para a formação de iniciados, que ficou a um passo da subida aos nacionais.
A equipa de iniciados (na foto) terminou o seu campeonato na segunda posição, a quatro pontos do líder, Benfica de Castelo Branco. Os sertaginenses somaram 48 pontos, correspondentes a 15 vitórias, 3 empates e 4 derrotas, tendo apontado 57 golos e sofrido 19.
Por seu lado, a formação de juniores repetiu o terceiro lugar da época passada no distrital da categoria, conquistado pelo Desportivo de Castelo Branco. Os juniores do Sertanense somaram 22 pontos (7 vitórias, 1 empate e 4 derrotas), marcando 36 golos e sofrendo 26.
Já a equipa de juvenis quedou-se pela sexta posição, numa prova ganha pela A.D. Estação. Os jovens sertaginenses conseguiram alcançar 8 pontos (2 vitórias, 2 empates e 8 derrotas), tendo apontado 16 golos e sofrido 44.
Por fim, o conjunto de infantis subiu até ao sétimo lugar, num campeonato distrital ganho pelo Académico do Fundão. Os infantis sertaginenses somaram 29 pontos (9 vitórias, 2 empates e 11 derrotas), registando um goal average de 65 golos marcados e 57 sofridos.
Uma última nota para a equipa de benjamins do Sertanense, que alcançou também excelentes resultados, tendo vencido um dos torneios distritais realizados ao longo da época.